womancareerlife

EMPREENDER OU NÃO EMPREENDER:lidando com a voz do seu “crítico interior”

Tornar-se um empreendedor é  a mesma coisa que ser mãe pela primeira vez (nas devidas proporções, claro!). Você ainda está “reestruturando” a sua cabeça sobre a grande responsabilidade de cuidar daquele Ser tão frágil e de como será esta jornada, para o resto de sua vida; desde o momento do primeiro choro. Em meio a um turbilhão de emoções de alegria e excitação, os questionamentos são os mais variados possíveis… Partindo do ponto de como ser uma excelente mãe; até os cuidados com o planeta: a mente não para. Um outro fator muito interessante é que “ninguém”, ninguém mesmo, te contou a realidade das noites mal dormidas, o amor incondicional que vale todo tipo de sacrifício, da irritabilidade, do cansaço e etc… Em meio a isto tudo, ter  que aguentar toda espécie de crítica e conselhos (sem solicitação) de terceiros… A esta altura, se você é mulher e mãe, já deve estar rindo… As pessoas são muito corajosas em criticar uma mãe que tem uma espécie de TPM constante, com os hormônios à flor da pele, nos primeiros meses da chegada do bebê, não acha?Mesmo assim, apesar de tudo… lá dentro de você, habita uma certeza maravilhosa de que “tudo vale a pena!”.

Já no empreendedorismo, não é muito diferente. Você enfrenta a si mesma o tempo todo pensando em como tornar a sua idéia em um produto rentável, que valha a pena o seu sacrifício. Muitas das vezes procrastina o desejo de tornar seu sonho realidade, porque tudo e todo mundo se reúne, com  a melhor das boas intenções, para dizer que “não vai ser fácil”, que precisa disso e daquilo, que o investimento é muito alto, que precisa fazer um Business Plan, um estudo de mercado, contratar um assessor e blá,blá,blá…

Enquanto tudo o que você quer é ter a certeza de que se tornará uma “excelente empreendedora” e o seu negócio, um tremendo sucesso.Seguir seu coração, apesar de todas as probabilidades e chances de tudo dar certo ou errado… A verdade é que este é apenas um dos muitos desafios enfrentados pelos empreendedores, em sua busca para encontrar o equilíbrio necessário e as respostas iluminadoras, que permitam  ligar a ponte entre o que imaginam realizar e o sucesso.

Em meio a tudo isto, pode por alguns instantes, ouvir aquele censor crítico interno te dizendo: “ viu? Eu te disse ! Está vendo o que todo mundo está te dizendo? Vai entrar em uma furada!”  E lá vão seus sonhos, mais uma vez, por água abaixo; ou melhor, gaveta (bem fundo mesmo da gaveta) abaixo… a ponte não se construiu…

Não sou tão ingênua a ponto de te dizer que basta um sonho para se tornar um empreendedor de sucesso ! Também não afirmo que ao tomar a sua decisão de empreender, sua vida se tornará um verdadeiro spa. Haverá o momento spa, mas desta vez, quem vai determinar a hora e o seu tempo de spa, é você.

Empreender exige acreditar em si mesma, responsabilidade, planejamento, garra e determinação.Há  também, uma série de variáveis a levar em consideração. O que estou querendo dizer é que se você se nutrir de auto confiança, todos os obstáculos que vierem serão superados. Não se trata de mais ninguém… Se trata de você somente. É onde tudo começa e acaba. É como no início da maternidade, lembra? Cansativo,mas tudo vale a pena !

Ser um empreendedor é uma experiência libertadora – que nos livra de ter que responder a alguém por nossas ações. No entanto, isso também significa que você precisa aprender a auto-disciplina, e de tomar decisões difíceis sobre o seu próprio negócio, além de engolir alguns sapos ao longo do caminho.

O objetivo deste post é o de pavimentar o seu pensamento sobre o seu “crítico interior”, para que saiba lidar com ele e colocá-lo em seu devido lugar… Sim, aquela voz que fica te dizendo tudo o que te faz tremer e temer.

A voz da intuição e a voz do crítico interior: o julgamento

Não importa o quão determinado seja e o quanto lute contra todo tipo de negatividade… Haverá momentos em que esta “vozinha” desagradável suspirará em sua cabeça, de forma sorrateira.

Não me refiro à voz interior, da intuição... O tom desta voz é diferente e as sensações também: escute-a com atenção. Esta voz interior geralmente surge quando uma situação não está correndo bem, quando uma parceria não te parece a melhor das alternativas, quando sente que algo não está certo em algum ponto. Esta voz te desperta para fazer mudanças e para te impulsionar à ação. A voz da intuição, a sua voz interior, o seu mestre interior, te alertará sem o “julgamento”: “ você não acha que tem algo de estranho na atitude de …”, “ sinto que aquele negócio não ficou bem esclarecido”, “Você agiu de forma incoerente, deveria ter prestado atenção nas palavras que usou”

Já o crítico interno… usa o medo como ponte para te estagnar, para te causar ansiedade e te cobrar atitudes e comportamentos, em forma de julgamento: “você não vai dar conta deste recado”, “você vai perder tudo e todos vão rir de você… mais um fracasso”, “olha, é melhor o pássaro do trabalho na mão, do que o dinheiro voando”

Enfrentando o seu “crítico interior”

O primeiro passo para enfrentar esta voz de julgamento, é reconhecê-la e se tornar consciente dela, observando-a; ao invés de ouvi-la como uma verdade absoluta. Vou repetir de uma outra forma: esta voz que você ouve, que te julga e que mexe com a sua auto estima… não é real, não representa a verdade absoluta! Ficou claro? Portanto, vamos identificá-la e enfrentá-la.

Se tornar consciente desta voz de crítica interior, é observá-la como a um diálogo em uma peça de teatro; ou seja, não tomá-la para si a ponto de se estagnar e de bloquear as tuas ações, levando-a a desistir e procrastinar.

Pessoas bem sucedidas, ouvem estas vozes, mas não se deixam levar. Quantas vezes acha que o Obama pensou e repensou em sua canditatura antes de torná-la oficial? Quantas vezes acha que é preciso fracassar para aprender; errar para acertar?

O que você tem e se tornou hoje, vem do que você é e do que aprendeu. Indo mais além, de como utiliza esta experiência.

Estas vozem vêm acompanhadas de uma intenção de medo… Mas, o que fazer com o medo? Não sei se já observou que tudo ao que resiste, persiste. Entrar em contato com estas sensações desagradáveis que te provocam medo é desagradável, eu sei. Mas, esta mesma voz, que te provoca estas reações, é o que te mantém no grau de insatisfação com alguma coisa em tua vida: você vira refém de uma voz que declara o que nem é real.

Quanto mais enfrentarmos o medo, maiores as chances de desenvolver um músculo chamado coragem. Este músculo, quando bem nutrido, te dará cada vez mais auto confiança para enfrentar outros e  mais outros obstáculos que porventura surjam.

Mas, como fazer? Ao invés de “ouvirmos a voz interior, o crítico interior” e assumirmos a sua verdade, vamos mudá-lo e usá-lo como um “dispositivo guia”.

  1. O primeiro passo a tomar quando a voz do crítico interior chegar é se perguntar:

– Isto é a coisa mais apavorante que devo temer ;ou, que devo enfrentar? ( correr, ficar quietinha X enfrentar)

2.     O segundo passo  é entrar em contato com esta voz, com o seguinte exercício.

2.1.Preparo do ambiente

  • Procure um local confortável, em que possa ficar em silêncio.
  • Acenda um incenso ou aromatizador, como preferir (isto não é obrigatório)
  • Prepare caneta e papel

2.2.Entre em contato com o padrão deste teu crítico interior. O que ele sempre diz que te provoca medo, procrastinação, estagnação? Escreva no papel absolutamente tudo o que vier à tua mente.

2.3.Leia o que escreveu. Consegue perceber que não há muita coerência? ( se você se deixou levar e não controlou o que escrevia)

2.4.Agora, pense nas frases que mais escuta deste “crítico interior” e responda-as com frases de poder, to tipo: “Eu Quero”, “eu realizo” “ eu sou poderosa”, etc…

2.5.Agora, escreva estas frases de poder de forma a ser possível colocá-las em um local de fácil acesso: carteira, bolsa, etc…

2.6.Pegue a primeira listagem, a frase do seu “crítico interior”, rasgue e jogue na lata de lixo. Ao fazer isso, repita as frases de poder.

3. Entre em contato com o assunto que esteja lhe causando indecisão, o foco da questão:

3.1. Escreva o nome do problema em si, o assunto.

3.2. Liste os prós e contras de agir sobre a questão e as alternativas. Considere o custo de não corrigir o problema e o que esta ação vai fazer à sua reputação.

3.3. Liste tudo o que pode dar errado se você não agir; ou, para cada alternativa.Pense a longo prazo.

3.4.  Liste as possíveis soluções para o problema. Anote quantos vierem à mente em 5 a 10 minutos.

3.5.  Decida sobre uma solução e executar. Se comprometa 100%

Se a coisa for mesmo difíciil, compartilhe com alguém de confiança, alguém que saiba que vai te ouvir e te dizer o que pensa. Lembre-se de abrir seu coração para ponderar o que o outro te disser. Se você for armada para só falar e não ouvir, pode perder uma grande amiga, um bom relacionamento. Uma coisa é querer desabafar sobre um assunto, onde tudo o que se quer é alguém que a ouça, sem pré julgamento. Uma outra coisa, é buscar uma solução para um problema…

Equipando Sua Certeza

Se você está nesta fase de transição entre investir em seus sonhos, acabou de ser mãe e está revendo as suas possibilidades para dar mais atenção à você e a sua familia: você não está sozinha !

A revista Você SA de junho, tem como matéria de capa: “adeus, trabalho chato”

A matéria em questão mostra diversos casos de sucesso, de pessoas que deixaram cargos, títulos e organizações de peso, para uma melhor qualidade de vida, para empreender em seus sonhos, para trabalhar horas a mais; mas, com a certeza no coração de que fizeram a melhor escolha que poderiam com suas vidas.

Nesta matéria, página 39, são apontados alguns indicadores sobre o grau de satisfação (pessoas infelizes) no trabalho e o que os profissionais fazem  depois que tomam a decisão de retomar suas vidas. Vamos a eles:

Grau de insatisfação no trabalho

População masculina – 41% satisfeitos e 59% insatisfeitos

População feminina – 43% satisfeitas e 57% insatisfeitas

Fonte: Accenture

O que os profissionais fazem quando rompem com o emprego convencional

População masculina

  • 31% saem para empreender
  • 36% afastam-se temporariamente ou mudam de área de trabalho
  • 33% reduzem ou flexibilizam a carga horária

População feminina

  • 12% saem para empreender
  • 37% reduzem ou flexibilizam  a carga horária
  • 51% afastam-se temporariamente ou mudam de área de trabalho

Fonte: Professora Ana Carla Scalabrin (FEA-USP)

 

Construindo a ponte

Se você tem uma grande idéia, uma paixão verdadeira por algo… Não passe o resto de sua vida dando desculpas para não realizá-la. Tenha um bom plano feito por você, faça uma análise do que verdadeiramente quer e vá em frente !

Não se deixe enganar, tentando tapar o sol com a peneira. Procure agir sobre os seus problemas, medos e enfrente o seu crítico interior, seja em que âmbito for de tua vida. Superar obstáculos é sinônimo de auto superação. Auto superação nos eleva a um outro patamar dentro de nós mesmos e fortalece o  músculo  que se chama coragem, nos tornando a causa e não o efeito de nossas vidas.

Entre em contato comigo para falar como se sentiu depois do exercício. Será um prazer ouvir o que tem a dizer.

Estarei realizando o workshop de um dia “Iluminando Meus Horizontes” . Talvez seja uma ótima oportunidade para “degustar” o seu negócio; ou, a decisão de mudar de carreira. Digo degustar, porque você terá a possibilidade de analisar de forma real os prós e contras da tua necessidade de mudança ou de empreender. Leve consigo a experiência real, um plano do passo a passo , de forma focada, concisa, sobre os teus sonhos, se tornando a causa e não a consequência da tua vida.

As vagas são limitadas e acontecerá em setembro (primavera, renovação) no Rio de Janeiro. Peça por maiores detalhes, através do meu email.

Pax,lux,sucesso !

Rejane

Rejane Santos, MSc. é Coach Self e Professional , Consultora de RH, proprietária da http://www.cocreationcoaching.com.br, autora do livro ISO9000 Para Hotelaria, ed. Qualitymark.

Formação acadêmica – Mestre em Engenharia de produção pela COPPE/UFRJ, Pós graduação em RH-PUC/RJ, graduação em Psicologia pela Gama Filho/RJ,MBA Qualidade – Consultoria Grifo com extensão na Universidade de Tampa, FL, EUA.

Para saber um pouco mais sobre o trabalho de Rejane Santos e contratá-la para consultoria, palestras e workshops, envie email para cocreationcoaching@cocreationcoaching.com.br, com o título do assunto.

2 comentários sobre “EMPREENDER OU NÃO EMPREENDER:lidando com a voz do seu “crítico interior”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s