Rejection-number

COMO SABER SE O SEU PRODUTO ESTÁ ADEQUADO AO SEU NICHO DE MERCADO:PROSPERE E CRESÇA!

Esse pessoal de Marketing é mesmo maravilhoso !!!

Muitas vezes o que parece fácil e corriqueiro e nos desvia para o que é mais complexo, pode ser a resposta para os problemas que enfrentamos em muitos momentos como empreendedores e não sabemos como  solucionar. A exemplo disso, está a adequação do produto ao(s) nicho(s) de mercado adequado(s).

Oferecer um produto para um mercado que não esteja preparado para recebê-lo;ou, com uma linguagem inadequada, por exemplo, pode jogar tempo e dinheiro para o ralo.

Por este motivo compartilho neste post, com alguns passos para que faça uma análise sobre o nicho de mercado (ou nichos) para o(s) seu(s) produtos. Entendam produto como um bem físico, um conhecimento (cursos,workshops,palestras) ou serviços (hardware e software).

É mais comum do que se imagina, a frustração de termos uma excelente idéia que quando colocada em prática, gera desgaste, vontade de desistir. Além de um planejamento para o lançamento de um produto (veja no post anterior), temos que nos debruçar um pouquinho mais em estudar o nosso nicho; ou, nichos de mercado. Se os seus esforços não estão sendo recompensados, talvez, encontre aqui algumas idéias para MUDAR ESTA PERSPECTIVA e partir para uma outra mais atraente. Estes princípios se aplicam até mesmo para consultores, profissionais de RH quando têm que “vender” um projeto (produto é conhecimento também, como descrevi lá em cima).

Vejamos que em alguns casos é necessário “educar o cliente” para o lançamento de alguns produtos. Quem não se lembra de ter achado estranho aquelas máquinas  cheias de botões dos bancos, em que podemos processar diversas operações… (gente! Sai até dinheiro !!) as quais chamamos hoje de caixas eletrônicos? Este é um típico caso de educação do cliente para a venda de um produto. Atualmente, não nos assustamos mais com a máquina ET, não é verdade? Já em outros casos, é importante pensar na adequação da linguagem e tudo o que envolve a venda do produto de acordo com o(s) nicho(s) que pretende atingir: embalagem, as campanhas, o nome, a forma como será aplicado/ministrado (em caso de conhecimento).

Mas, como saber se estou ou não oferecendo o meu produto de forma adequada ao meu nicho ? Eu até fiz um curso sobre o assunto para aprender mais, eu tenho um excelente currículo… Eu sei como se sente (I know the feeling!)

Depois de todos os esforços, ensaio e erro, de recebermos alguns: “ achei legal, mas agora não posso pagar”… O IDEAL É REAVALIAR A FORMA COMO APRESENTA O SEU PRODUTO.

Para um mesmo tipo de produto, existe um público ou públicos específicos. Vejam as diversas marcas de shampoos. Para que serve um shampoo? Todos servem para lavar a cabeça, para que não utilizemos o sabonete ou o famoso sabão de coco. Precisamos ver vantagens e benefícios que despertem o nosso interesse: embalagem, cheiro, cor e benefícios oferecidos pelo produto: ajuda a manter a coloração por mais tempo, brilho de estrelas, etc…

Às vezes o problema que você vem enfrentando em captar seus clientes não esteja no seu conhecimento, na sua competência técnica. Mas sim, na forma como apresenta o que vende.

Vou dar um exemplo que estou observando ultimamente. Fiz uma formação em Self / Personal (life-vida) e Professional (carreira) Coach. Assim como eu, muitas pessoas estão se certificando neste segmento. São empreendedores que partem em uma carreira solo, com todo o gás e esperam sinceramente que “dê tudo certo!” (eu também !).

Um Coach não necessariamente, tem que entender do “expertise” do seu coachee (cliente), para ser um bom Coach. O que há é uma série de habilidades que a pessoa já deve ter para que aliadas às competências da sua formação em Coach, o permitam realizar este trabalho.Vou  esclarecer !

Vamos primeiro identificar a diferença entre habilidade e competência, porque há uma confusão enorme entre estas duas coisas. Vou explicar de forma básica, primária mesmo porque não cabe ser “erudita, formal ou o que seja” aqui no nosso espaço.Então vamos lá !

Habilidades – Estão relacionadas ao saber fazer (física ou mentalmente): avaliar, sintetizar, analisar problemas e situações, compreender, correlacionar.

Competências – São adquiridas, conhecimentos adquiridos, formação específica que junto às habilidades caracterizarão  uma profissão: Arquiteto, Marceneiro, Psicólogo, Engenheiro, Coach.

Exemplo: uma habilidade que o Coach deve ter é a de “escuta ativa”. Entretanto, esta habilidade por si só, não é suficiente para atuar como Coach. Torna-se necessária a formação nas competências  de Coach (o conjunto de ferramentas, conhecimento adquirido no curso em questão).

Então, a competência em uma  área pressupõe a capacidade de analisar criticamente uma situação, de forma a responder com  conhecimento (adquirido), aplicando o recurso adequado, para o momento adequado.

O médico tem competência para determinar qual o tipo de tratamento adequado para cada diagnóstico.

Uma vez entendidos estes conceitos, podemos afirmar que as pessoas buscam soluções para os seus problemas. Quando buscamos um profissional, queremos solucionar uma questão que nos desagrada e queremos nos ver livres dela o quanto antes. Portanto, ainda no exemplo de Coaching, dizer que você é Personal e Professional Coach, não quer dizer muita coisa para o leigo, quer? O leigo ouve aquele blá,blá,blá e se pergunta: “ e daí? O que esta pessoa pode fazer por mim? Não me identifico”. Legenda:”não tenho problema/desconforto algum nesta área que ele possa solucionar”. Muito provavelmente, este “prospect” (um possível cliente) não se identifique com esta abordagem; ou, não faça parte do nicho certo;ou, indo mais profundamente… você ainda não sabe para onde atirar, o seu alvo.

Sem saber identificar “como aplicar e para quem”, as HABILIDADES (aliadas às suas competências de Coach), vai ficar sempre em uma batalha naval para ver se acerta o alvo ou se é água. Lembra deste joguinho?

Portanto, se você está cansado de ouvir “poxa, legal… Mas, não posso pagar” ou “neste momento acho que a nossa empresa tem outras prioridades” … Está na hora de rever os seus conceitos.

O seu nicho parte de uma necessidade/problema de um grupo de pessoas ou de um determinado segmento, em relação à sua competência para RESOLVER, PROVER SOLUÇÕES.Ou seja, a pergunta deve ser: qual a situação problema em que tenho habilidades específicas/vivência que aliadas às ferramentas de coaching posso prover soluções?

Vamos imaginar que você seja uma excelente dona de casa, que por circunstâncias da vida ( o marido era diplomata e vivia sendo transferido)  nunca trabalhou em uma empresa, nunca teve uma atividade fora da profissão de mãe, esposa e administradora do lar ( veja que não é pouca coisa !!) . Depois de um determinado tempo, encontrou no Coaching, a resposta para o que sempre desejou fazer na vida… busque dentro de você o seu maior “expertise” que pode ser: ajudar a outras mulheres a educar os seus filhos com equilíbrio, ajudar a planejar na economia doméstica (ajudar a sair do vermelho, o desperdício), ajudar a outras mulheres a encontrar o seu próprio negócio/carreira, o seu propósito de vida.

Então, ainda nesta situação, ENTRE oferecer o seu produto com o título de Self e professional Coach para uma pessoa que está em dúvida se vai para o Japão para uma nova oportunidade  de carreira ou se continua a se desenvolver profissionalmente na atual empresa E oferecer seus serviços a uma pessoa que se identifique com a sua experiência, que sabe que você é a pessoa ideal que pode compreendê-la e que pode verdadeiramente alavancá-la…Onde acha que esta Coach se sentirá mais confiante como profissional e, portanto, mais confortável para aplicar os seus conhecimentos?

A sua formação será importante, mas em um primeiro momento, para o seu “prospect” está a sua capacidade em PROVER SOLUÇÕES.

O exemplo acima foi somente para ilustrar e promover o entendimento. Então vamos a algumas dicas importantes que vão ajudá-lo(a) a formatar melhor o seu plano de marketing e o seu plano de negócios (veja o post anterior):não navegue à deriva. Lembre-se da frase: “ Volte para o navio!” você é o comandante !

 1.    Olhe para as suas experiências de vida

O que você tem para oferecer que te tornará confortável, segura(o) para oferecer? As pessoas gostam de lidar com experiências verdadeiras, com produtos que traduzam esta linguagem. Desta forma, você poderá esclarecer dúvidas e prover soluções mesmo para casos mais complexos, sem se sentir encurralada(o) ou perdido(a)

2.Existe uma necessidade para o seu produto? as pessoas querem o que você está tentando vender ? 

·         Quem são estas pessoas? Imagine os hábitos, o poder aquisitivo, idade, o problema/situação problema que enfrentam.

·         Onde estão estas pessoas? (geográfica e fisicamente)

3.Criar um diferencial/uma vantagem competitiva se perguntando antes se o seu mercado está sendo atendido ou atendido de forma deficiente ( levantar as fraquezas dos concorrentes e tentar superá-los de alguma forma)

·         preço

·         qualidade

·         tempo de entrega/atendimento

·         metodologia/técnica

·         conhecimento/sua própria experiência no problema

·         etc..

4.O seu nicho é fácil de alcançar? Quais ferramentas de comunicação serão necessárias que justifiquem o seu esforço?

·         Mídias eletrônicas, sociais, etc

·         Contatos:telefônicos, pessoalmente, palestras

·         Mala direta

·         Etc…

5. O que o torna “único(a)” no que você faz?

As pessoas estão dispostas a pagar por “resultados”

6. Pense fora da caixa

Pensar que não tem nenhum diferencial, que não sabe o que fazer ou por onde começar, são idéias que o limitam.

Um outro fator importante é não se limitar a somente um nicho. Você pode criar, dentro das suas habilidades e competências, produtos diferenciados para nichos diferenciados.

7.Entrar em ação !

Tentar formas diferentes para entrar em contato com o seu nicho. Palestras, world café, etc…

Você pode testar o seu produto de diversas maneiras e ter um termômetro do que o mercado quer. Partindo destas informações, ajustes podem ser necessários. Faça-os !

8. Coloquei por último, mas deveria estar no 1: confie em seu taco !

Empreender está intimamente ligado ao medo. É normal ter medo de errar, de fracassar. Entretanto, o diferencial entre um empreendedor de sucesso está relacionada à forma como vê a si mesmo. Portanto, se você se considera um fracassado para pendurar as chuteiras ou se vê como um empreendedor que erra, mas tem garra e erros fazem parte da jornada… Em ambos os casos está certo !

Entre em contato para  esclarecimento de dúvidas que terei o prazer em ajudar.Adoraria receber seus comentários, adendos, sugestões.

Pax,lux,

Rejane

21-84595553 /rejsans@gmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s