life-coaching

Quem Sou eu ? Os soberbos, Os egoístas, Os estéreis, Os prósperos

Olá pessoal,

Acabei de chegar de uma jornada dentre muitas das quais já participei de encontro comigo mesma , da redescoberta dos meus talentos e da quebra de bloqueios e paradigmas:a vida é mesmo uma jornada incrível !

Acabei a minha formação de Self (vida) e Professional (carreira) Coach, algumas certificações internacionais, interessantes: ECA – European Coaching Association e a GCC – Global Coaching Community, ICI-

International Association coaching Institutes, Metaforum International.

Esta era uma formação que vinha buscando há muito tempo. Aquele sonho guardado. Esta vontade cresceu ao longo de minha experiência profissional, com as pessoas que me pediam por uma espécie de “alinhamento estratégico” em suas vidas e em suas carreiras. O resultado dos meus “aconselhamentos” eram muito bons. Entretanto, sempre sentia que faltava algo. Já conduzi diversos alinhamentos estratégicos em organizações e pensava comigo: “nossa, seria tão bom se estas ferramentas, este tipo de trabalho fosse levado para a vida das pessoas”. Eu ainda não sabia ligar o nome do que “isso” poderia ser e comecei a buscar informações e descobri há um tempo atrás a palavra certa: Coach !

Durante a minha formação tive uma série de “insights” sobre muitos dos meus valores e crenças que, de uma forma ou de outra, fazem parte da minha geração. Neste post, vamos falar sobre “dar e receber”.

Para que possamos continuar, peço que você pare por alguns instantes e pense em como você pratica o “dar e receber” em sua vida. Se estiver difícil, eu posso ajudar.

  • Você se considera uma pessoa equilibrada em termos do que dá e recebe ? (me refiro a alguns aspectos: financeira, emocional e profissionalmente.)
  • Você doa demais e depois se sente frustrada (o) porque teve que se desdobrar para cumprir com o que prometeu ou para cobrir  “o quanto” deu?
  • Para você é mais fácil oferecer ajuda do que receber ajuda?
  • Para você o conceito de dar e receber está na frase: “dê tudo e receberás em dobro?”
  • Você cresceu ouvindo a frase: “ É melhor dar do que receber ?”
  • Se sente culpada quando diz  “não” ?

Se respondeu afirmativamente para a maioria das respostas anteriores… este post foi feito para você. Se você respondeu negativamente à maioria das questões: parabéns ! troque conosco estes valores tão preciosos.

Francamente, é muito melhor receber do que dar ! Que mal  há em receber um elogio?  Que mal há em receber reconhecimento pelo seu trabalho? Que mal há em dizer não, quando este não significa você “não se prejudicar” por causa dos outros ? Como podemos doar mais do que receber, principalmente,se a nossa taça está vazia?

Doar é muito gratificante,doar é libertador. Entretanto, quando não sabemos receber de volta, não estamos contribuindo em nada, nada mesmo, para que a lei de atração aja em nossas vidas.

Se você é uma empreendedora de sucesso,talentosa, que não consegue obter o mesmo sucesso na conta bancária, os clientes são abusivos e pedem sempre que você baixe demais os seus preços. Você por sua vez, para segurar o cliente, se segura nele como a sua tábua de salvação e ganha ZERO Reais…Ao final do projeto, você já começa a rezar para acabar porque vê a cada minuto, o seu esforço sendo colocado no stress e a sua satisfação de lado. (veja a série Sun Tzu para mulheres aqui no meu blog). A cada dia que passa, parece que os seus esforços foram em vão…. Acorde !!! Porque…

Da próxima vez em que este teu cliente fechar negócio, sabe com quem ele vai fechar’ ? Com quem cobrou mais caro do que você. Isso porque quem cobrou mais caro, passa a imagem de segurança, de VALOR, de respeito a si mesmo. Veja bem, não confundir com uma negociação em que um desconto, um aumento de prazo, uma negociação “ganha-ganha” seja vantajosa. Estou me referindo a relações em que o outro ganha e você perde, para que ele ganhe mais; ou, não perca coisa alguma.

O mesmo acontece com a pessoa que disponibiliza “demais” o seu tempo… que está sempre pronta para resolver um probleminha aqui e outro ali “dos outros” e esquece de cuidar da sua própria vida, de se desenvolver , de aprender coisas novas, de ler um bom livro.

Não estou te julgando. Já cometi os mesmos erros. E, sinceramente, acho um disparate quando uma pessoa usa o teu tempo, tomando “seja qual for a tua tecnologia”, como se fosse um copo d´água.

Então, como construir o seu negócio com graça? Como atrair graças para a sua vida? Como realizar-se plenamente sem ter aquela “velha sensação” de que está explorando os outros, só porque cobrou pelo tempo do seu trabalho? A resposta é “ Está na hora de rever os seus conceitos” .Afinal, quem explora ou tenta abusar de quem? “Quem te pede” para fazer um trabalho praticamente de graça (ou de graça);ou, você que cobra pelo seu conhecimento? Uma outra questão é: quanto, quem está te pedindo para trabalhar “de graça”, estaria disposto a fazer o mesmo sacrifício que você ? (para que ELE, o outro, ganhe menos para você ganhar mais, claro !)

Ontem, um amigo me relembrou uma estória muito interessante sobre saber se valorizar, atrair prosperidade e construir o seu negócio com graça. A estória é a seguinte:

“Um navio carregado atravessava o oceano quando o motor enguiçou. O comandante chamou o técnico do porto mais próximo, que trabalhou durante uma semana, porém sem resultados.
Chamaram então o melhor engenheiro do país, que trabalhou três dias, mas nada conseguiu. A empresa proprietária do navio mandou, finalmente, buscar o maior especialista naquele tipo de motor.
Ele chegou, olhou detidamente para a casa de máquinas, escutou o barulho. Então retirou um pequeno martelo da sua valise e deu uma martelada numa válvula. Guardou o martelo de volta na valise, mandou ligar o motor, que funcionou na primeira tentativa!
Dias depois chegaram as contas ao escritório da empresa de navegação:
Por uma semana, o técnico do porto próximo cobrou U$ 700,00
primeiro engenheiro, por três dias de trabalho cobrou U$ 900,00
Já o engenheiro especialista, por sua vez, cobrou U$ 10.000,00!
Atônito com a última conta, o Diretor Financeiro da empresa solicitou a discriminação dos valores. O especialista então enviou os seguintes detalhes do cálculo à empresa:
Preço por uma martelada: U$ 1,00
Preço para saber onde dar a martelada: U$ 9.999,00
Valor Total: U$ 10.000,00”

Este é um belíssimo exemplo para relembrar quem verdadeiramente somos. O teu conhecimento é a tua tecnologia. O teu produto, não é somente um bem físico, se for o caso. O que quero dizer é que se uma amiga dona de uma loja te pede uma consultoria de graça e você a dá… peça a ela que lhe dê algum artigo da loja de graça também. Qual poderia ser a resposta? Já parou para pensar nisso? Por qual motivo ou razão, o “conhecimento” que faz parte da tua bagagem, do teu pacote de serviços, tem menor valor do que um outro produto qualquer?

Ah, já sei… Lá vem ela… a culpa: “ Nossa, Rejane, você está sendo mercenária! Que decepção!” kkkkkkkkkkkkkkk. Não estou não !  Tente fazer o mesmo, faça o teste. Se o amigo for de verdade, ele não se importará em pagar pelos teus serviços, em troca dos dele. Isso chama-se parceria ( tenho um post sobre isso) e respeito pela pessoa e profissional que você é. Se, ao contrário, o amigo achar que você é “mercenário(a)”… Bom, por que ele(a) não te dá igual valor, ao valor do que ele(a) produz?

Para algumas pessoas, fazer esta mudança de “modo de pensar sobre o justo valor pelo seu trabalho” é difícil. Levei anos para reconhecer , que não devo abrir mão do meu “merecimento”.

Vejam agora, um novo paradigma que aprendi sobre isso. Aproveite e faça o seu  teste !

Existem quatro tipo de pessoas:

  1. Soberbas – Só sabem doar. Têm problemas em receber. Prestam favores, mas não gostam de receber favores de ninguém. Pergunte-se: “eu sou soberbo(a)?”
  2. Egoístas – Sabem receber, mas não sabem doar, ceder, reconhecer. Geralmente, encontram sempre um “soberbo” para explorar.
  3. Estéreis – Não querem dar , nem receber.
  4. Prósperas – Tanto doam quanto recebem, de forma equilibrada. São capazes de gerar prosperidade para si e para aqueles com quem se relacionam.

Os discursos para os diferentes tipos em uma festa de natal:

Os soberbos – “imagina, não precisava se preocupar comigo”

Os egoístas –  “Não tive tempo para comprar presentes”

Os Estéreis  – “Não  dêem nada para mim, porque não comprei nada para ninguém”

Os Prósperos – “Obrigada pelo presente. Muito gentil de sua parte”

Então, você está aberto para mudar os seus conceitos ? Comece com a pergunta:“ quem sou eu?”

Espero ter ajudado de alguma forma, para que antes de 2012, você mude a sua vida e atraia muita prosperidade !

Até o próximo post, pax,lux,

Rejane Santos

Rejane Santos é Mestre em Engenharia de Produção, Consultora para projetos de gestão e desenvolvimento de Pessoas (design e delivery), Auditora líder da qualidade (SGQ ISO9000),Coach (Self e Carreira), Palestrante.

Para falar com Rejane e saber mais sobre o seu trabalho rejsans@gmail.com ou cocreationcoach@gmail.com

Foto de Marco Bellucci

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s